QUEM SOMOS

Já não basta vestir rosa ou iluminar monumentos. Encontrar formas de dialogar com toda a sociedade e dar voz para quem enfrenta a doença é o que faz diferença quando o assunto é câncer de mama, o tumor mais comum entre as mulheres brasileiras. E esse é o espírito do movimento Coletivo Pink – Por um Outubro Além do Rosa.

O projeto, iniciado em 2018 em um casarão centenário da Rua Bela Cintra, está de endereço novo neste ano. De 1 a 20 de outubro, vamos ocupar um dos espaços culturais mais conhecidos de São Paulo: workshops, serviços, oficinas e um festival de artes compõem uma programação inspiradora, cuidadosamente planejada para a Casa das Rosas.

Somos o resultado de muitas vozes. Instituto Vencer o Câncer (IVOC), Instituto Oncoguia, AMUCC – Associação Brasileira de Portadores de Câncer, Fundação Laço Rosa, Femama, Imama, Fundação Nossa Casa, Meninas de Peito, Todos Juntos Contra o Câncer e Instituto Frida Galera: as principais associações de pacientes oncológicos do País, juntamente com a Pfizer, acreditam no poder da união quando o que está em jogo é a conscientização sobre o tipo de câncer que mais mata mulheres em todo o mundo.

 

SEJA BEM-VINDO!

Casa das Rosas
ESPAÇO HAROLDO DE CAMPOS DE POESIA E LITERATURA
Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo

Funcionamento

De 01 a 20 de outubro de 2019
Terça-feira a sábado, das 10 às 22h
Domingos e Feriados, das 10 às 18h.

CORPO, MENTE E EMOÇÕES

Por que falar de câncer de mama por meio da arte? Em primeiro lugar, porque toda doença vai além do corpo. Não se trata, portanto, de medicar uma mama doente. Estamos falando de mulheres por inteiro. São mentes que se informam e mudam comportamentos. São pessoas que vivem emoções, seja durante o próprio tratamento ou acompanhando a jornada de alguém muito querido. Por isso, resgatar esse olhar integral, que leva em conta todos os aspectos do ser humano, é uma das missões do Coletivo Pink 2019.

VOZ, ROSTO E REPRESENTATIVIDADE

Muito se fala sobre prevenção durante o Outubro Rosa. E quem já enfrenta a doença, como fica nesse cenário? Muitas dessas mulheres simplesmente não se reconhecem dentro de um movimento tão importante. Mas, no Coletivo Pink, a voz das pacientes se faz ouvir. E o rosto delas está lá, estampado em uma exposição de fotos inspiradora, capaz de transmitir toda a força e a coragem dessas mulheres.

PROGRAMAÇÃO

Estamos prontos para receber você de terça-feira a domingo, de 1 a 20 de outubro.
Inscreva-se para participar das nossas oficinas que têm vagas limitadas. Programe-se também para vivenciar as atividades livres que acolhem bem quem chegar, não precisa inscrição.

Aproveite para convidar sua mãe, tia, irmã ou vizinha: proteja a saúde das suas amigas do peito! E lembre-se: os homens também podem desenvolver a doença ou apoiar quem está passando por esse problema. Portanto, esse assunto é uma causa de toda a sociedade!

INSTALAÇÃO FIXA: INSPIRE-SE
Exposição Artemisa: Frida, a coragem do pink no outubro rosa

30 pacientes com câncer de mama mostram seu rosto e sua voz em uma exposição que mistura representatividade, arte e informação. Clique nas imagens e conheça histórias inspiradoras!

OFICINAS CULTURAIS
image003 (1)

AMARRAÇÃO DE LENÇOS
FLÁVIA FLORES
04/10/2019 às 15h30

0d44b192c0e95be70aeddf4a51cd903d

BORDADO NA FOTOGRAFIA
BEATRIZ PARDIAL
10/10/2019 às 10h30
11/10/2019 às 15h30

nathalia.abdalla_43096494_547166412403822_8186837581392189521_n

CROCHÊ LIVRE
NATHALIA ABDALLA
02/10/2019 às 10h30
18/10/2019 às 15h30

3cae1b84-2b58-42d3-94ef-39acc5313a34

FELTRAGEM
GUTA MORAES
09/10/2019 às 10h30
17/10/2019 às 15h30

52550201_248573256064551_7617747140864901120_n

FELTRAGEM
GUTA MORAES
09/10/2019 às 10h30
17/10/2019 às 15h30

e7eb9d878a863710ca5d821840e49fc4

TRILHA DAS ERVAS
ADRIANA COSTA
03/10/2019 às 15h30
15/10/2019 às 10h30

20190919_161743

LIVROS CRIATIVOS BORDADOS
MAGALI MEDINA
08/10/2019 às 10h30
11/10/2019 às 10h30

foto divulga impressão botânica

IMPRESSÃO EM LENÇOS COM FLORES
MAGALI MEDINA
04/10/2019 às 10h30

escrita_criativa

ESCRITA CRIATIVA
JULIA ALQUERES E
ANA FERRAZ
08/10/2019 às 15h30
10/10/2019 às 15h30

unnamed

FOTO EM CELULAR
PAMELA ALVES
02/10/2019 às 15h30
09/10/2019 às 15h30
18/10/2019 às 10h30

Maquiagem-1-1024x685

AUTOMAQUIAGEM
01 a 20/10/2019
De terça a sábado às 13h30
Domingos às 10h30

b5b67386-8b45-4e66-9d55-92f24104ec19

OFICINA DAS FLORES
MILA VIDAL
03/10/2019 às 10h30
16/10/2019 às 15h30

Ioga

IOGA
05/10/2019 às 15h30

IMAGINE

OFICINA DE DESENHO
BRUNA BANDEIRA
17/10/2019 às 10h30

PROGRAMAÇÃO LIVRE: É SÓ CHEGAR!
PROGRAMAÇÃO MUSICAL
AS CHORONAS

AS CHORONAS
06/10/2019 às 15h

JAZZIMIN

JAZZMIN’S COMBO
13/10/2019 às 15h

Marly Montoni

MARLY MONTONI
11/10/2019 às 18h

 

image004

PÉ DE MANACÁ
20/10/2019 às 15h

PRISCILA

PRISCILA AMORIM
04/10/2019 às 18h

SAMBARAINHA

SAMBA DE RAINHA
18/10/2019 às 18h

CINEMA
ma_ma

MA MA
10/10/2019 às 19h

jaestoucomsaudade

JÁ ESTOU COM SAUDADES
17/10/2019 às 19h

Bucket_list_poster

ANTES DE PARTIR
03/10/2019 às 19h

TEATRO
CONTAÇÃO DE HISTÓRIA
INTERVENÇÃO
DANÇA
01inpress_faceaface_CarolDias

CIRCO DI SÓLADIES
CHOQUE ROSA ou
Com que armas lutamos?
05/10/2019 às 11h

_MG_3917

KIARA TERRA
12/10/2019 às 11h
13/10/2019 às 10h30
13/10/2019 às 13h

Cala a boca já morreu_Ana Teixeira

CALA BOCA JÁ MORREU
15/10/2019 às 12h30

shutterstock_439142821

DANÇA CIRCULAR
19/10/2019 às 11h

EVENTOS ESPECIAIS

CORTE SOLIDÁRIO

O cabelão cresceu desde o ano passado?
Se você tem fios de pelo menos 15 cm de comprimento, venha fazer uma paciente mais feliz!

DATAS: 06, 13 e 20 de outubro
HORA: Das 10h30 às 18h
LOCAL: Pergolado da Casa das Rosas

DEBATES

Meu corpo em cena: da prevenção do câncer ao enfrentamento da doença
06 de outubro, das 14h às 15h30. Local: Varanda Pink

Pensando e racionalizando sobre o câncer de mama e metástase
13 de outubro, das 14h às 15h30. Local: Varanda Pink

Espiritualidade e saúde: como as emoções impactam na recuperação da paciente
20 de outubro, das 14h às 15h30. Local: Varanda Pink

RODAS DE CONVERSA

Meninas de Peito
Tema: A força do Coletivo
06 de outubro às 11h. Local: Varanda Pink

Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm)
Tema: A importância da Vacinação durante o tratamento
12 de outubro às 15h30h. Local: Varanda Pink

Fundação Laço Rosa
Tema: maternidade e o Câncer de Mama
12 de outubro às 15h30. Local: Varanda Pink

Instituto Vencer o Câncer – IVOC
Tema: Atividade Física e Nutrição
19 de outubro, às 15h30. Local: Varanda Pink

Câncer de Mama

O TUMOR MAIS COMUM ENTRE AS MULHERES

Você conhece alguém que já teve câncer de mama? Provavelmente sim, pois esse é o tumor mais comum entre as mulheres.

Por ano, quase 60 mil novos casos são identificados em nosso País. Ou seja: só hoje, quase 200 brasileiras descobriram que têm a doença.

Além disso, o câncer de mama também é o tipo de tumor que mais mata mulheres em todo o mundo. Só no Brasil, 15.403 pessoas morreram por causa da doença em 2015, de acordo com os dados mais atualizados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) sobre esse problema.

Por isso, é importante se informar e saber como prevenir, identificar e tratar esse tumor!

Por exemplo: você sabia que apenas de 5% a 10% dos tumores de mama estão ligados a fatores genéticos?

Ou seja, a maioria dos casos tem a ver com estilo de vida e fatores ambientais. E há muito que cada um de nós pode fazer por si mesmo para se proteger.

Fontes: Brasil. Ministério da Saúde. INCA. Estimativa 2018: Incidência de Câncer no Brasil. Disponivel em:
http://www.inca.gov.br/estimativa/2018/ (último acesso em 26 set 2018).

METÁSTASE, O QUE É ISSO?

Detectar o câncer de mama no início é muito importante. E pode aumentar as chances de sucesso no tratamento.

Mas, em países em desenvolvimento como o Brasil, um maior número de pacientes recebe o diagnóstico da doença em uma fase já avançada, o que favorece sua disseminação para outras partes do corpo. É o que chamamos de metástase.

Vale lembrar também que, mesmo quando a identificação do tumor é feita precocemente, cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem progredir para um estágio mais avançado, com o aparecimento das metástases. Ossos, pulmão e fígados são as regiões mais afetadas.

A boa notícia é que o cenário de combate à doença vem mudando.

Com o avanço da ciência, já existem tratamentos que podem controlar o tumor por vários meses ou até anos, mesmo quando o diagnóstico é feito em um estágio avançado.”

Também há alternativas com menos efeitos colaterais, preservando a qualidade de vida das pacientes.

Fontes:
O’Shaughnessy J.Extending Survival with Chemotherapy in Metastatic Breast Cancer.
The Oncologist 2005;10(suppl3):20–29

Mariotto AB, et al. Estimation of the Number of Women Living with Metastatic Breast Cancer in the United States. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev. 2017 Jun;26(6):809-815

A FAMÍLIA E A DOENÇA

Medo e tristeza. Esses são os principais sentimentos que tomam conta de uma mulher e de sua família diante do diagnóstico de câncer de mama. Além disso, a doença provoca uma mudança profunda nas relações domésticas: do relacionamento conjugal ao dia a dia dos filhos, passando pelas finanças e pela vida profissional.

Essas são algumas das constatações de uma pesquisa recente sobre esse universo realizada pelo Instituto Provokers, a pedido da Pfizer. A partir de entrevistas com 170 pacientes e 240 familiares de nove capitais do País, a pesquisa Câncer de mama metastático: a voz das pacientes e da família traz um olhar aprofundado e diferente sobre o assunto.

Se 72% das pacientes afirmam que vivenciaram muito sofrimento ao receber o diagnóstico do tumor, essa percepção é ainda mais contundente entre os familiares: 88% deles experimentaram esse sentimento quando o câncer da paciente foi identificado. Mas, embora os familiares das pacientes se sintam fragilizados diante da doença, também representam a fortaleza emocional dessas mulheres. São eles que oferecem o conforto e o suporte necessários para o enfrentamento da enfermidade.

Ainda que o diagnóstico da doença represente um momento de dor e intenso sofrimento para toda a família, os entrevistados conseguem identificar aspectos positivos nessa situação. A maioria das pacientes afirma, por exemplo, que as pessoas já não discutem por bobagens em sua casa. E que a família ficou mais unida após a descoberta da doença.

Fonte: IFonte: Instituto Provokers – Pesquisa “Câncer de mama metastático: a voz das pacientes e da família”, veiculada em 2018

Prevenção

O excesso de peso, principalmente após a menopausa, aumenta o risco de ter a doença, pois o tecido gorduroso produz vários hormônios, entre eles o estrógeno, que está relacionado aos tipos mais comuns de câncer de mama.

Fonte: Instituto Nacional de Câncer (INCA)

DE OLHO NA BALANÇA

O consumo frequente de álcool, mesmo em baixas doses, representa um risco aumentado para a doença. Uma latinha de cerveja por dia, por exemplo, já interfere nesse processo, pois o álcool altera os níveis de estrógeno, hormônio associado à maioria dos tumores mamários.

Fonte: Instituto Nacional de Câncer (INCA)

E A BEBIDA ALCOÓLICA?

Quanto maior o período de amamentação, menor o risco para a doença. Essa proteção está associada à redução dos ciclos menstruais durante a amamentação, o que deixa a mulher menos exposta à ação de hormônios relacionados aos tumores mamários.

Fonte: Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC)

AMAMENTAÇÃO PROTETORA

Mulheres que praticam atividades físicas durante a vida reprodutiva têm menos riscos de apresentar câncer de mama do que as sendentárias. Trata-se de uma atividade que ajuda a reduzir a produção de estrogênio, hormônio relacionado à grande parte desses tumores.

Fonte: Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC)

CORPO EM MOVIMENTO

Visitar o ginecologista regularmente e fazer os exames solicitados é muito importante. A mamografia é capaz de identificar alterações que, talvez, não fossem percebidas durante o exame de palpação das mamas feito pelo médico.

Fonte: Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC)

EXAMES EM DIA

Conhecer o impacto do estilo de vida sobre a doença, aprender a reconhecer possíveis sintomas e saber mais sobre as possibilidades de tratamento são medidas essenciais A partir dessas iniciativas, o risco de a doença se espalhar para outras partes do corpo será menor.

Fonte: Instituto Nacional de Câncer (INCA)

INFORMAÇÕES SEGURAS

Existem evidências de que o tabagismo possa aumentar o risco para o câncer de mama do tipo receptor de estrogênio positivo. Os cientistas têm se aprofundado nos estudos sobre essa relação nos últimos anos e, também, já sabem que fumar é um fator de risco importante para mais de 10 outros tipos de câncer.

Fonte: Instituto Nacional de Câncer (INCA)

LONGE DO CIGARRO

Novos estudos vêm reforçando a relação entre o consumo de carne processada e o risco de câncer de mama, principalmente para as mulheres na pós-menopausa. Salsicha, bacon e salame são alguns desses alimentos.

Fonte: European Journal of Cancer

ALIMENTAÇÃO

Diversos fatores da vida moderna, como engravidar mais tarde, depois do 35 anos, podem aumentar o risco de câncer de mama. Isso ocorre porque, nessas condições, a mulher passa por mais ciclos menstruais, aumentando sua exposição a hormônios relacionados à doença.

Fonte: Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC)

GRAVIDEZ PLANEJADA
Endereço
Avenida Paulista, nº 37
Bela Vista, São Paulo

© Copyright

Política de Privacidade

Termos de Uso

Como Chegar

Uma iniciativa:

Apoio: